sábado, julho 22, 2017

últimas notícias de JURIPIRANGA.


Professora do Estado é exonerada a pedido do prefeito de Juripiranga... Com 24 anos e 6 meses de serviços prestados na Escola Estadual Demétrio Toledo, a professora Cybele Cristeane Queiroz de Castro, confirmou que  foi exonerada a pedido do prefeito de Juripiranga.
******
Plantão Juripiranga / assalto deste sábado foi na rua Paraná. 
*****

Pacientes denunciam falta de medicamentos na Farmácia Básica de JURIPIRANGA: Amitril, Amitripilina, Clonazepan, Diazepan, Limbitrol, Certralina, Pomada Ginecológica, Fraldas Geriátricas e alguns antibióticos.

Eleitor vai à urna por obrigação.

O fim da obrigatoriedade do voto é um dos pontos em discussão na proposta de reforma política que tramita fatiada no Congresso Nacional. Segundo 80% das pessoas ouvidas pela reportagem do Jornal Correio da Paraíba, elas não compareceriam às urnas para exercer o direito caso pudessem. Apenas 20% delas responderam que se fariam presentes para garantir a vitória do seu candidato. Os especialistas acreditam que entre os motivos que levam o povo a não querer votar está a criminalização da política no país.

A descrença na classe política é uma das principais razões apresentadas pelas pessoas.

O cientista político Ítalo Fittipaldi acredita que o desgaste apresentando diariamente na imprensa, que tem mostrado casos de corrupção constantes, é uma das causas que leva a crise política que dificulta a representação.

O professor alegou que atualmente há uma campanha de criminalização da política, pois o tema é geralmente tratado como algo negativo. “Quando você apenas mostra esse lado, termina criminalizando a política e faz com que as pessoas entendam que a via política não é o melhor caminho para você resolver os conflitos com a sociedade”, explicou Ítalo Fittipaldi.

O especialista defende o voto facultativo, mas acredita que talvez a ausência da obrigatoriedade não fosse suficiente para realizar um pleito mais consciente, pois não se sabem se só os mais entendidos do tema votariam. “O fato é que se você tira a política, esses problemas não serão resolvidos. Esse é o grande perigo. Esse lado negativo faz com que as pessoas tenham esse sentimento de afastamento e as pessoas terminam querendo despolitizar o poder público, o Executivo, em função de uma política pública. Políticos corruptos não são todos. Também temos médicos, advogados, engenheiros, entre outros que são corruptos, justificou o professor. Ítalo Fittipaldi explicou que a falta de interesse alimentada pela crise política atual é bastante apreensiva, pois a abstenção de votos pode atrair a necessidade de regimes como o da ditadura.
Distanciamento da política

A falta de envolvimento político é outra opção que pode levar muita gente a não querer comparecer às urnas durante o pleito, disse o cientista político. “Essa falta de interesse compromete também o surgimento de novas lideranças. Você não tem que alegar que não confia nos políticos, você tem que saber em que está votando. Isso sim que é o mais importante. Eu acho que o voto não deveria ser obrigatório, pois quero acreditar que hoje já há uma maturidade mínima necessária para conseguir tirar essa obrigatoriedade”, comentou Fittipaldi.

Para convencer o brasileiro a ir às urnas, de acordo com Ítalo Fittipaldi, as campanhas eleitorais devem ser educativas, mostrando as diferenças entre os trabalhos do Executivo e do Legislativo, além de explicar a importância do voto. “Informar é preciso para mudar a mente da maioria. Qual o papel da política na sociedade? O cidadão precisa entender isso para mudar o pensamento. A democracia é quem faz o papel de resolução temporária de conflito”, comentou.

Ele entende e consegue enxergar pontos positivos nos dois sistemas eleitorais (o obrigatório e não obrigatório), Mas acha que ainda é preciso insistir que as pessoas votem.

MESMO OBRIGADO, ABSTENÇÃO JÁ É ALTA
Apesar de o voto ainda ser obrigatório no Brasil, nas últimas quatro eleições a abstenção na Paraíba tem ficado acima dos 12%. Sendo que nos pleitos gerais (estaduais e federais) tiveram os maiores índices, acima de 17,5%. Mesmo sendo nas eleições municipais os menores índices de ausência dos eleitores às urnas, registrou-se no ano passado que em 19 municípios, mais de 20% não compareceram. Em quatro cidades 25% do eleitorado faltou às eleições. A enquete realizada pelo Correio também oportunizou descobrir que algumas pessoas acreditam que não tem mesmo a capacidade de provocar as mudanças que consideram necessárias para o desenvolvimento político da sociedade. “Eu não votaria de jeito nenhum. Hoje em dia não vale nem a pena sair de casa para tentar mudar qualquer coisa que seja. O congresso está cheio de sujeira e nós não conseguimos mudar exatamente nada, pois todo o poder fica apenas nas mãos deles”, desabafou Jorge Genuíno da Silva. Ainda assim, a minoria esperançosa considerou que a presença na urna é a única garantia de caminhar para melhorar a administração do País. “Eu vou continuar votando porque o meu maior desejo é trocar todos esses que atualmente estão no poder. Nós merecemos uma mudança completa”, disse Lenilson Linhares. Outra solução apontada pelo cientista Ítalo Fittipaldi é a de que os partidos precisam voltar a ser ideológicos. “Isso contribuiria para diminuir a descrença”, destacou.

Jornal Correio da Paraíba

Fim da burocracia nas escolas do estado.

Desburocratizar para avançar. Esta é a melhor definição para a decisão do Governo da Paraíba ao lançar edital para contratação de uma Organização Social (OS), sem fins lucrativos, para gerir a manutenção predial e acompanhamento pedagógico das escolas da rede estadual de ensino. Algo que já causa expectativa nos profissionais do setor, pois é um serviço que virá para desafogar o acúmulo de tarefas destes e proporcionar uma melhor experiência de ensino aprendizagem no ambiente escolar.

Não é de hoje que a escola pública vive o mesmo dilema. Queima uma lâmpada e meses separam para a sua reposição. Isso acontece porque existe todo um processo dispendioso que torna impossível uma solução rápida. É preciso que o diretor escolar avise à Secretaria de Estado da Educação sobre o problema, para depois o caso seja encaminhado para o setor responsável, em que, na maioria das vezes, é necessária uma licitação, já que não se compra apenas uma lâmpada no Estado. Somente o processo licitatório, no mínimo, demora 90 dias para conclusão.

Só quem vive o cotidiano da escola é quem sabe o quanto algo tão simples demora muito para se resolver. “Esses problemas de manutenção de escola nos tiram muito tempo. Sempre tem uma goteira, problema com ar-condicionado, merenda que não foi entregue no prazo. Tendo esse suporte da OS, já não vai haver mais essa burocracia, porque a comunicação vai ser direta. Eles virão e já poderão resolver de imediato e o diretor vai poder se preocupar em cuidar mais com a parte pedagógica, ao foco principal que é o ensino-aprendizagem. A legislação torna muito complicado o gerenciamento de coisas miúdas e nós ficamos penando”, explicou Olegário Vieira, diretor do Lyceu Paraibano.

Processo educacional facilitado
Para a diretora da Escola Estadual Ursula Lianza, Valdete França, a presença da OS nas escolas facilitará ainda mais todo o processo educacional.

Valdete apontou que a expectativa é grande e que a ideia da presença de uma OS nas escolas tem sido bem aceita pela comunidade escolar. “As OS vão estar junto com os professores, acompanhando o desempenho dos alunos e o planejamento das aulas. Eles estão chegando para nos auxiliar. Ao menos, todos os professores com quem conversei sobre a vinda da OS estão sendo muito favoráveis. A minha expectativa é de que essa OS facilite o trabalho de todos. Nós que somos gestores escolares somos muito sobrecarregados. Temos muitas tarefas, muitas das quais são estritamente específicas de infraestrutura da escola, o que acaba ficando quase impossível acompanhar a parte pedagógica. Então isso vai ser muito bom porque o gestor escolar vai deixar de fazer todo esse serviço burocrático para poder focar mais na parte pedagógica e cuidar do aluno”, argumentou.

Essa melhoria da Educação, que está por vir, também é percebida pelo diretor da Escola Estadual Daura Santiago Rangel, Carlito Plácido. Para ele, toda mudança causa estranhamento, mas que será benéfico e efetivo para o desenvolvimento dos alunos.

“Particularmente, olhando pelo lado de que o aluno é quem tem que sair ganhando, sou favorável. Eu percebo que esse tipo de serviço virá para melhorar o atendimento para o aluno. O que me motiva é que o objetivo central é de que o resultado final é melhorar o ensino-aprendizagem deles. É isto que importa”, afirmou Carlito Plácido.

Edital esclarece a contratação
Muito se publiciza de que haverá uma terceirização da Educação do Estado. O que não é verdade. Uma rápida lida no edital de contratação da Organização Social para este fim esclarece que o objetivo central é dar suporte à escola, sem tirar autonomia de professores e diretores.

O governador Ricardo Coutinho, também no seu programa semanal de rádio, esclareceu que ‘terceirização’ ou ‘privatização’ não são os termos corretos para esta ação do Governo do Estado. “É até absurdo falar isso sobre um governo que investe recursos da forma como investimos, que qualifica nossa educação. Isso é uma bobagem terrível”, declarou.

Ricardo ainda afirmou que a decisão de contratar uma OS para manutenção das escolas advém da necessidade de toda a rede pública de ensino que ele mesmo vivenciou ao visitar várias unidades e pelos relatos de professores, diretores e alunos.

“Chego em algumas escolas, vejo o mato nas alturas, questiono os diretores a respeito disso e me respondem que a secretaria não mandou pessoal para fazer o reparo. Isso não tem sentido, é um pensamento atrasado, as coisas precisam ser mais ágeis. É por isso que estamos, com estas contratações, agilizando a manutenção dos prédios. Um muro que cai, uma lâmpada que queima, uma parede a ser pintada, coisas que não podem esperar três meses por uma licitação ou por processos burocráticos que existe no setor público”, completa.

E o diretor do Lyceu Paraibano, Olegário Vieira, lamentou a propagação de tais informações equivocadas. “Só quem sabe da realidade das escolas são os gestores, os professores e os alunos. O Estado não está em nenhum momento transferindo sua atividade-fim, que é a Educação, que continua sob o controle, gerência, administração e responsabilidade e gestão do Estado. A direção em nenhum momento perde a sua autonomia. Os professores não terão nenhuma alteração do vínculo empregatício. A OS vai cuidar de uma atividade-meio, que é o suporte nas pequenas manutenções de limpeza, de merenda, de portaria”, explicou.

Giro de Notícias Paraíba / sábado.

Banco do Brasil em ITABAIANA necessita de doação de duas bandeiras... 
favor entregar na gerência até o dia 7 de setembro.
*****
Plantão Juripiranga / assalto deste sábado foi na rua Paraná. 
*****






77 mil alunos pobres somem da escola na Paraíba. ***** Mais de 480 mil eleitores da PB não realizaram cadastro biométrico, diz TRE. ***** ‘Marcha da Maconha’ é realizada em João Pessoa. ***** Ricardo inaugura Contorno Rodoviário de Guarabira. ****** Todos querem o PMDB, porém, não querem o PMDB como cabeça de chapa. ***** Gestores paraibanos são ‘figuras repetidas’ em condenações da Meta 4; veja nomes. ***** Sindicato decide que é contra modelo de ‘Gestão Pactuada’ nas escolas da Paraíba. ***** Campina Grande e outras 18 cidades abastecidas pelo Açude Epitácio Pessoa, localizado em Boqueirão, não têm mais data para sair do racionamento de água. ***** KPC volta a atacar. Uma idosa morreu na manhã de ontem, em Campina Grande, vítima de infecção pela superbactéria KPC. ***** Anitta estará em João Pessoa no dia 6 de agosto, no Unipê Fest Solidário, no Espaço Cultural. ***** TCE ataca a prática de nepotismo.

clique aqui / veja mais notícias

Quanto ganha um deputado federal?

Altos salários, auxílio-moradia, verba de gabinete… muitos são os benefícios garantidos a um parlamentar brasileiro. Você tem ideia de quanto tudo isso custa aos cofres públicos? O site Politize!, que visa a educação política, explicou direitinho tudo o que você precisa saber sobre os privilégios assegurados a quem ocupa o disputado cargo de deputado federal.

Quanto é o salário de um deputado federal?
Atualmente, cada deputado federal recebe um salário bruto de R$ 33.763,00, valor superior ao recebido pelo Presidente da República, pelo vice-presidente e pelos Ministros de Estado, que ganham R$ 30.934,70 mensais.

Essa quantia coloca os deputados federais brasileiros entre os parlamentares mais bem pagos do planeta. No ranking elaborado pela revista The Economist, o Brasil ocupa a quinta colocação entre 29 países citados. Nossos parlamentares são também os mais bem pagos da América Latina, seguido por Chile, Colômbia e México. A lista, contudo, considera apenas a renda base, sem levar em conta outros benefícios remunerados.

Mas o valor do rendimento mensal dos deputados federais pode estar prestes a mudar. Em novembro de 2016 a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou a proposta que reduz o salário dos deputados federais e senadores para R$ 26.723,13, por tempo indeterminado. O texto agora segue para plenário e, se aprovado, será enviado à Câmara dos Deputados, onde também precisa ser aprovada para ter força de lei.

O pagamento do salário mensal é condicionado ao comparecimento do deputado às sessões deliberativas do Plenário e o registro nas votações realizadas. Assim, se um deputado federal não justifica ausência em uma votação, terá parte do seu salário descontado. Além disso, a ausência não justificada em ? das sessões ordinárias de cada sessão legislativa pode acarretar perda de mandato.

As ausências são justificadas se o parlamentar estiver em missão oficial dentro ou fora do país, em casos de doença comprovada por atestado, licença maternidade e licença paternidade ou, ainda, falecimento de pessoa da família até o segundo grau civil e acidente.

Outros benefícios dos deputados federais?
Além do salário, existem outros benefícios concedidos ao deputado federal para garantir o exercício do seu mandato. Confira quais são:
1) Auxílio-moradia e imóvel funcional
A Câmara dos Deputados possui 432 imóveis funcionais sob sua administração, concedidos aos deputados federais em efetivo exercício do mandato e a partir de alguns critérios pré-definidos, como idade e quantidade de moradores. Os portadores de necessidades especiais têm prioridade.
Segundo as regras, o imóvel é destinado exclusivamente à residência do deputado ocupante e seus familiares, sendo proibida a cessão ou transferência a terceiros. Além disso, o mesmo deputado não pode ocupar mais de uma unidade residencial.

Aos deputados federais que não conseguirem um dos imóveis funcionais disponíveis, é concedido um auxílio-moradia no valor de R$ 3.800,00. Os benefícios de moradia são destinados aos deputados que não possuem residência em Brasília. Entretanto, em 2014, o jornal Estado de Minas apurou que 19 parlamentares recebiam o benefício mesmo possuindo casas ou apartamentos na cidade.

2) Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap)
É um valor destinado para cobrir despesas relativas ao exercício do mandato, como passagens aéreas, serviços postais, manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar, hospedagem, combustível, contratação de serviços de segurança e consultoria, entre outros.

A cota funciona por meio de reembolso e seu valor depende do estado de origem de cada deputado, variando entre R$ 30 mil e R$ 45 mil. Isso porque leva em conta o preço das passagens aéreas de Brasília até a capital do estado pelo qual o deputado foi eleito. O saldo não utilizado pelo deputado em determinado mês acumula-se ao longo do exercício financeiro, ou seja, o período que vai de 1º de janeiro a 31 de dezembro, não sendo acumulada de um exercício financeiro para o seguinte.

3) Verba destinada à contratação de pessoal
É um valor de R$ 97 mil mensais, destinados à contratação de até 25 secretários parlamentares, cuja lotação pode ser no gabinete ou no estado de origem do deputado.

4) Despesas com saúde
O deputado federal tem direito a ressarcimento integral de todas as despesas hospitalares relativas a internação em qualquer hospital do país, caso não seja possível atendimento no serviço médico da Câmara.
Além disso, o deputado federal recebe também uma verba equivalente ao valor do seu salário no início e ao final do mandato, para compensar gastos com a mudança. Somados, o salário e os benefícios de cada deputado chegam a aproximadamente R$ 168,6 mil por mês. Juntos, os 513 deputados custam em média R$ 86 milhões ao mês, e a um custo anual de R$ 1 bilhão.

Nem todos os benefícios dos deputados federais são de natureza monetária. Uma das vantagens do cargo é o direito ao foro privilegiado, um mecanismo que garante ao deputado o direito de ter uma ação penal contra si julgada por tribunais superiores, e não pela justiça comum. 

sexta-feira, julho 21, 2017

Prefeitura promove acolhida no Serviço de Vivência e Fortalecimento de Vínculo.

A Prefeitura Municipal de Itabaiana, através da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social, promoveu na última quarta-feira (19), acolhida para pais e crianças do Serviço de Vivência e Fortalecimento de Vínculo. O Serviço de Vivência e Fortalecimento de Vínculo como é denominado, está localizado no bairro do Jucurí, é um comodato entre a Prefeitura e o Governo do Estado. A unidade passou por revitalização, como: pintura, recuperação de móveis, e aquisição de ventiladores para melhor atender a demanda. Ao visitar os novos ambientes, Lúcio Flávio nos conta que ficou surpreso e muito feliz com o resultado final "A partir deste segundo semestre, os alunos poderão usufruir de um local adequado para desenvolver atividades educacionais e de recreação, um compromisso da gestão", declarou. Na oportunidade a secretária da pasta Amanda Virgínia, falou um pouco sobre os serviços oferecidos e novas atividades "Aqui estará funcionando também o CRAS. Iremos desenvolver oficinas de dança, futsal, judô, desenho, dentre outras, além de oferecer uma merenda de qualidade para os alunos ", pontuou a secretária. 

em JURIPIRANGA: Pacientes denunciam falta de medicamentos.

(veja mais notícias) Pacientes denunciam falta de medicamentos na Farmácia Básica de JURIPIRANGA: Amitril, Amitripilina, Clonazepan, Diazepan, Limbitrol, Certralina, Pomada Ginecológica, Fraldas Geriátricas e alguns antibióticos.
*****









Gasolina beira R$ 4 em João Pessoa e ultrapassa esse valor em Campina. ***** Bandidos tocam o terror no Conde e assaltam até a granja de delegado. ***** MP devolve ao TJPB processo de Berg Lima e decisão será de Marcos William. ***** Advogado garante: Estado não pode apreender veículo por atraso no IPVA. ***** Polícia investiga 11 casos do golpe do ‘Bilhete Premiado’ ***** No interior da Paraíba, cidade sem banco e sem dinheiro. ***** Sede do PT da Paraíba é depredada; portas e teto foram quebrados. ***** Uso de tornozeleiras gera economia de quase R$ 220 mil por mês para a PB. ***** Jessier Quirino, Ramon Schnayder e mais quatro artistas fazem show beneficente em JP. ***** Agricultor vende casa para cuidar de cães abandonados, no interior da Paraíba.

clique aqui / veja mais notícias